A NTS realizou no dia 19/04 a Gaseificação do PE/PR RPBC. A instalação é bidirecional, podendo atuar como um ponto de recebimento e de entrega. Possibilitando o envio de gás natural transportado através do GASAN para a RPBC, refinaria da Petrobras, localizada em Cubatão-SP.

O comissionamento do PE/PR RPBC teve por objetivo permitir a entrega de gás para a refinaria RPBC através de uma instalação própria da NTS com capacidade de 2,2 milhões de m³/dia. O sistema de medição é constituído por dois tramos em paralelo, utilizando medidores com tecnologia ultrassônica e cromatógrafo em linha para análise e monitoramento da qualidade do gás.

A tecnologia de medição ultrassônica é vantajosa em relação às outras, por apresentar melhor exatidão, alta rangeabilidade, menores incertezas de medição de vazão e baixa manutenção, explicou o Engenheiro de Medição Vinicius Araujo.

Para comprovar o perfeito funcionamento dos medidores, foi realizado o monitoramento através dos resultados de softwares de autodiagnóstico. Os dados são obtidos durante o comissionamento da instalação, indicando a saúde dos medidores naquele instante.

A instalação também conta com um sistema de análise e monitoramento da qualidade do gás natural, composto por um cromatógrafo, um analisador de sulfurosos e controlador de ponto de orvalho.

A atividade contou com uma força tarefa integrada entre as áreas de Medição, Gasodutos e do Centro de Controle Operacional (CCO). Antes da realização da Gaseificação, foram definidas todas as interfaces e responsabilidades entre a Petrobras (Carregador) e a NTS (Transportador e Operador), pelo Coordenador de Medição e Qualidade Maurício Casado.

A análise técnica dos fluxogramas de engenharia, detalhamento do sistema de medição e o mapeamento das válvulas entre a NTS e a RPBC, pelo Vinicius Araujo. As redundâncias operacionais e o recebimento dos dados do CCO pelo Especialista Gustavo Neves. Já o planejamento e execução das atividades de campo pela equipe de Gasodutos, foi coordenada pelo Coordenador de Manutenção Danilo Ori.

"Previamente às atividades de gaseificação, realizamos diversos testes ponto a ponto, equipamento por equipamento, de forma a analisarmos as reais condições do PE/PR RPBC e planejarmos a operação de maneira segura, garantindo a integridade das instalações, a continuidade do fornecimento e principalmente a segurança dos nossos(as) funcionários(as)." Afirmou, Danilo Ori.

"Durante a gaseificação, alinhamos o fluxo para um tramo de medição por vez, sendo realizado o monitoramento em tempo real das condições operacionais de vazão, velocidade, temperatura e pressão", relatou Vinicius Araujo.

“Além de ser um marco operacional importante para a NTS, a partida do PE/PR RPBC proporcionará o aumento da confiabilidade da medição de vazão de gás movimentado para a refinaria”, explicou Mauricio Casado.

Operações desta magnitude permitem:

  • Menores custos com manutenção e logística;
  • Benefícios amplos no mercado de gás e energia com a entrega mais eficiente as Refinarias, Distribuidoras Locais e Usinas Termelétricas (UTEs);
  • Maior disponibilidade dos sistemas de medição e tramos reservas (ganhos com redundância);
  • Maior interoperabilidade e intercâmbio de dados.

Toda esta tecnologia resulta, por fim, em uma indústria mais competitiva, com a possibilidade de otimização dos custos das empresas e consequente redução de preços ao consumidor final.

Mais uma vez a NTS participa das mudanças de mercado, fomenta o desenvolvimento do país através da tecnologia, prioriza a satisfação do cliente e se mostra engajada em ser uma empresa de classe mundial.